quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Situação de emergência é homologada pelo Estado

Fonte da Notícia: Jornal Folha da Região - Araçatuba
Jornalistas: Sergio Guzzi e Sérgio Teixeixa


O governo de São Paulo homologou
ontem, conforme
publicação no Diário
Oficial do Estado, situação de emergência
em Araçatuba, em decorrência
dos estragos causados pelas chuvas
que atingem a cidade desde dezembro
do ano passado. Em 26 de
janeiro, a administração municipal
já havia declarado tal situação após
estimar em R$ 50 milhões os prejuízos
registrados na cidade.
Com a homologação da situação
de emergência, o prefeito Cido
Sério (PT) pretende reforçar pedidos
de recursos feitos ao governo federal.
Na semana passada, o chefe
do Executivo esteve em Brasília,
onde protocolou nos ministérios da
Agricultura, Integração Nacional e
Cidades projetos para obras estimadas
em R$ 23,6 milhões.
Nesta quinta-feira, o prefeito
se encontra em Presidente Prudente
com os ministros da Integração
Nacional, Alexandre Padilha, e de
Cidades, Márcio Fortes. "Vou entregar
a eles cópia dessa homologação
e reforçar nossos pedidos", disse Cido
à Folha da Região, na tarde de
ontem. "Se for preciso, vou a Brasília
para uma reunião com o comando
da Secretaria Nacional de Defesa
Civil, reforçar a nossa necessidade
de recursos para fazermos a recuperação
da cidade."
Para facilitar o repasse de recursos
a Araçatuba, o secretário
municipal de Governo e Gestão Estratégica,
Márcio Chaves Pires, que
acompanhou toda a vistoria feita
por representantes da Defesa Civil
do Estado de São Paulo aos locais
de estrago na cidade, aguarda o reconhecimento
da secretaria nacional.
"É preciso esse reconhecimento
pelas três esferas. A partir daí, é
correr atrás do dinheiro, com a
apresentação de projetos. Coisa
que, por sinal, já fizemos", diz.
A situação de emergência em
Araçatuba, que registrou 22 pontos
críticos de estragos, muitos deles
na zona rural e no bairro Umuarama,
tem validade de 90 dias. No período,
a Prefeitura terá a vantagem,
por exemplo, de poder contratar
sem a necessidade de licitações.
DESASTRE
No fim de janeiro, quando a
Prefeitura entregou o formulário
Avadan (Avaliação de Danos) e outros
documentos requeridos pelo
Estado para análise da situação de
emergência, o diretor de gerenciamento
de emergência da Cedec
(Coordenadoria Estadual de Defesa
Civil), capitão PMToni Kasai, já havia
sinalizado para a homologação
do decreto. "Tenho condições de
afirmar que é um desastre de grande
porte", disse, na ocasião, sobre
as condições do município após as
chuvas. Conforme o Avadan, o total
de prejuízo com danos emergenciais
é de R$ 37,212 milhões, mas
o Executivo garante que as perdas
atingem R$ 50 milhões, pois a Prefeitura
considera outros itens que o
formulário não contempla. As inundações
e a força da chuva causaram
problemas materiais, ambientais,
econômicos, sociais e na infraestrutura
pública do município.
ASFALTO
O município precisará de R$
13,116 milhões para resolver os
problemas de asfalto causados pela
chuva. A deterioração da pavimentação
aumentou com as enxurradas
e inundações, provocando danos
em quase 250 mil metros quadrados
de ruas pavimentadas. Na
zona rural, 284 quilômetros de estradas
ficaram intransitáveis.
Balanço das secretarias de
Obras e Serviços Públicos, Governo
e Gestão, Planejamento, Segurança
Municipal, Ação Social, Defesa
Civil e Daea (Departamento de
Água e Esgoto de Araçatuba) mostra
que a cidade tem hoje 22 áreas
de risco, e que os bairros Umuarama
e Lago Azul são considerados
os locais mais preocupantes.
A vicinal Caran Rezek, estrada
que liga o trecho urbano de Araçatuba
com o bairro rural Engenheiro
Taveira, foi um dos pontos danificados
pela chuva, mas que já foi recuperado
pelo município com recursos
próprios, da ordem de R$
280 mil. Na semana passada, a
Sosp anunciou a recuperação das
estradas do bairro Jacutinga, Laboreaux
e Água Funda.

Nenhum comentário: