domingo, 28 de fevereiro de 2010

Pequeno 'ACIDENTE' na Rua Marcílio Dias

Sábado, 27 de fevereiro de 2010, 12:15 Horas, na Rua Marcílio Dias, dois veículos se envolveram em um pequeno acidente, uma Belina bateu na traseira de um Fiesta, causando pequenas avarias em ambos os carros, ninguém se feriu, mas o trânsito ficou prejudicado e perigoso no local, principalmente por ter acontecido em uma curva.


Quero acrescentar ainda, umas imagens a respeito da 'falta' de vagas de estacionamento.



Quero salientar que percorri a rua todos os dias da semana em horários diferentes e a existência de vagas em várias quadras foi uma constante, dizer que caiu o movimento por falta de estacionamento não é lógico.

Fico me perguntando, a quem interessa esta polêmica toda, sendo que o que foi executado, o foi após reclamações de vários comerciantes e moradores para que fossem tomadas providências a respeito da segurança nesta via, o assunto foi discutido e avaliado pelo Conselho Municipal de Trânsito, as medidas que seriam adotadas, foram anunciadas no jornal no dia seguinte a reunião do Conselho, o Departamento de Trânsito, quando do início das alterações solicitou reportagem aos jornais sobre o que seria feito, os dois jornais da cidade fizeram matéria sobre isso. Levou-se quase 3 semanas para que tudo fosse executado e durante todo esse tempo, diante de tudo o que se fazia ninguém reclamou ou quis dar sugestão e agora após tudo estar pronto, após a Prefeitura ter gasto tempo e dinheiro, dinheiro de impostos vale salientar, para as modificações, que aliás melhoraram e muito o tráfego na via, aparecem pessoas querendo que tudo seja refeito, deixar tudo como estava, deixar que os acidentes graves continuassem, que pessoas morressem, a quem isso interessa?

Quero deixar registrado que fiquei muito decepcionado com a atitude dos Vereadores que lá estiveram (reportagem pode ser vista no site da Câmara) e que sabiam que as alterações aconteceriam (ELAS FORAM NOTICIADAS PELOS JORNAIS POR MAIS DE UMA VEZ e este editor enviou e envia e-mail deste blog a TODOS  os Vereadores e aqui também tratei do assunto no dia que os serviços se iniciaram em 02 de fevereiro e na semana que o Conselho tomou estas decisões também dei uma entrevista ao Cidade Aberta do canal 21, onde falei sobre estas alterações), quererem agora dar sugestões e reclamar das medidas que foram tomadas, sinceramente, deveriam tê-lo feito antes.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Deputado José Genoíno na Unitoledo em Araçatuba


O Deputado Federal José Genoíno (PT-SP), esteve na sexta-feira (26/02) no Centro Universitário Toledo - Unitoledo, proferindo palestra sobre o pré-sal, explicando os projetos que estão sendo discutidos e votados na Câmara dos Deputados e depois no Senado sobre como será a exploração do petróleo nestas áreas.

Aproveitou para falar também sobre soberania nacional e cidadania aos jovens estudantes presentes.

Vale ressaltar que Genoíno lembrou ainda que durante a elaboração da Constituição de 1988, esteve aqui na mesma Universidade a convite do saudoso Afonso Toledo, para falar sobre o que se discutia no congresso naquele momento, afirmando assim que a Unitoledo continua tendo uma visão atual e proporcionando aos seus alunos a possibilidade de participarem e discutirem os assuntos mais importantes do país no momento em que eles estão acontecendo, e que esta era a visão de Afonso Toledo, um homem sempre à frente do seu tempo.

A palestra foi proferida aos alunos de História da Prof. Ângela Liberatti e a todos os interessados.

Antes da palestra o deputado passou rapidamente pela Câmara de Vereadores e logo a seguir pela Prefeitura Municipal, onde se reuniu com o Prefeito Cido Sério e alguns membros do partido.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

A 'suposta' falta de vagas na Rua Marcílio Dias!!


Na verdade na Rua Marcílio Dias faltam apenas 04 coisas, a saber:
"Respeito às leis", "Compreensão", "Cidadania" e "ÁRVORES".




Repito: "Respeito às leis", "Compreensão", "Cidadania" e "ÁRVORES".

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Mudanças no trânsito da Rua Marcílio Dias (Originalmente publicado em 02/fev/2010)


Araçatuba é uma cidade com quase 200 mil habitantes e uma frota de aproximadamente 100 mil veículos, ruas estreitas, traçado das vias complicados e estranhos, que foram surgindo ao bel prazer dos loteadores, sem nehuma preocupação com planejamento sério, estrátegico e que levasse em conta o fluxo de veículos, até porque há algumas décadas atrás não se imaginava que eles seriam tantos, é bom salientar.

Entretanto o que mais atrapalha a fluidez no trânsito são os próprios motoristas e pedestres, ou seja, nós, que somos, desculpem se ofenderei alguém, egoístas e pensamos somente na nossa própria comodidade.

Uma cidade é um 'organismo vivo', está em crescente movimento e o trânsito precisa acompanhar este movimento, as mudanças são necessárias e devem ocorrer constantemente, dizer que não se deve mudar, alterar, proibir estacionamento em determinados locais, criar mão única em algumas ruas é puro PRECONCEITO, pois a cidade é dinâmica, está crescendo e necessita ser 'atualizada', reprojetada, repensada e acima de tudo possibilitar a todos que nela vivem, condições de ir e vir com facilidade e rapidez, necessitamos de 'Mobilidade Urbana' e isso só acontece com fluidez no trânsito...

A imagem acima é da Rua Marcílio Dias, justamente no trecho onde o Conselho Municipal de Trânsito indicou para que fosse instalado semáforo para veículos e pedestres, local onde muitos acidentes acontecem, vale lembrar que a maioria deles por imprudência e desrespeito às regras de trânsito por parte dos próprios motoristas e pedestres.

A proibição de estacionamento em um dos lados da via, ou a criação de mão única de direção, não prejudica comércio algum, isto é puro preconceito, o que prejudica o comércio, são ruas interditadas por conta de acidentes, são ruas evitadas pelos motoristas por conta do perigo que o trânsito desordenado causa, são ruas onde os comerciantes e comerciários estacionam os seus veículos durante todo o dia na frente dos estabelecimentos e não sobram vagas para os consumidores, são ruas onde os caminhões de entregas de mercadorias, param em fila dupla atrapalhando a circulação, enfim o que atrapalha o comércio e todas as demais atividades da cidade é o desrespeito da grande maioria dos cidadãos que não sabem viver em sociedade, não sabem o que é cidadania, não sabem que os seus direitos vão até o limite onde começam os direitos dos outros...

...não queria ser tão longo neste texto,mas preciso acrescentar algo e darei alguns exemplos:

"Façam uma experiência, saiam em um passeio pela cidade, prestando atenção na maneira como as pessoas trafegam, e com certeza vocês verão: carros estacionados em locais proibidos, ao lado das placas de proibido estacionar (ex: defronte à Coopbanc, Rua Silva Jardim, Rua Luiz Pereira Barreto, Rua do Fico), sobre as calçadas (ex: Av. dos Araças, Rua Gal Glicério, Rua Silva Jardim, Rua Brasil, Rua Aguapeí), nos canteiros centrais de avenidas (Av. da Saudade), filas duplas e triplas na frente das escolas, (não precisa nem exemplo), restaurantes e lanchonetes ocupando 100% dos espaços das calçadas (Rua Cristiano Olsen, Rua Cussy de Almeida, Rua Porangaba, Rua Bolívia), carros, motos e bicicletas trafegando na contra-mão, excesso de velocidade nas ruas e avenidas, motoristas sem cinto de segurança, falando ao celular, motoqueiros e motociclistas sem capacete e também falando ao celular, pedestres fazendo caminhadas na faixa de rolamento dos veículos, e por aí vai, portanto antes de dizerem que estou sendo radical, façam esta experiência, tenho certeza que muitos acharão que estou sendo até ingênuo.

NOVO BLOG - IMAGENS

NOVO BLOG - IMAGENS

http://oiacidade.blogspot.com/

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Convite: Prestação de contas - Audiência Pública

A participação popular é o que dá legitimidade à democracia. Participe.

Reunião Pública sobre transporte coletivo - Convite


Como já havia publicado, aí está o convite a todos que tenham interesse no assunto e queiram participar desta reunião pública; É uma reunião aberta a todas as pessoas.


Faço um apelo: participem e cheguem no horário.

Transporte público: Soluções alternativas existem.


Extraído da Revista Veja desta semana - 24/fev/2010


Existem soluções alternativas, esta é uma delas.

Resumo sessão Câmara de Vereadores


Resumo da 4.ª sessão ordinária do ano de 2010, realizada em 22 de fevereiro de 2010.


Observação: O Grande expediente teve a duração de 2 horas e 40 minutos, utilizando o tempo do Pequeno Expediente também, para que os Vereadores(as) pudessem discutir uma representação apresentada por um cidadão contra o Prefeito Cido Sério.


A Ordem do dia teve a duração normal e não foi possível discutir e votar todos os projetos da pauta, pelo motivo habitual, excesso de discussão desnecessária, desvio do assunto discutido e as famosas repetições...

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Atuação Parlamentar - Uma análise crítica II

Considerando que quase todas as sessões da Câmara de Vereadores começam com a leitura de um texto da Bíblia, vou sugerir um texto.

Encontra-se no Livro de Tiago, capítulo 1, verso 19, onde diz:


"Sabei isto, meus amados irmãos: Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar e tardio para se irar".

Na versão viva (A Bíblia viva) diz assim:

"Queridos irmãos, nunca se esqueçam de que o melhor é ouvir muito, falar pouco e não nos irarmos."

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Atuação Parlamentar - uma análise crítica

Caros leitores, peço a compreenssão de todos por se tratar de um texto um pouco longo, mas vale a pena ler:
Considerando que as sessões da Câmara Municipal de Araçatuba têm início às 19:00 horas e vão até à meia-noite (24:00 horas);

Considerando que este tempo de 5 horas de duração é dividido em 3 partes distintas, a saber: Grande Expediente com 2 horas, Pequeno Expediente com até 40 minutos nos dias normais ou até 55 minutos nos dias com Tribuna Livre e Ordem do dia que ocupa o restante do tempo, via de regra, algo em torno de 2 horas ou um pouco mais;

Considerando que a Câmara é um Parlamento, ou seja, um lugar onde se deve ‘Parlar’ e ‘Parla-se’ (fala-se) muito, gostaria de tecer alguns comentários:


Especificamente sobre a sessão de ontem (17/fevereiro/2010), constava da Ordem do Dia 15 itens, sendo um em regime de urgência.

Quero salientar que a duração de uma sessão normal pode ser de até 5 horas sem prorrogação e que geralmente é isso o que acontece, as sessões são longas, muito longas e cansativas. Falo isso por experiência própria ‘in loco’, pois das 42 sessões ordinárias do ano de 2009 eu só não estava presente em 1 delas, por não estar na cidade e sempre cheguei no início e só fui embora depois do término, algumas delas por volta da 01:00 hora do dia seguinte, portanto 6 longas horas depois.
Voltando à sessão de ontem, a Ordem do Dia teve início por volta das 21:50 h e foi até às 23:53 h, quando motivados pelo cansaço os Vereadores e Vereadoras, resolveram ‘suspender’ a sessão até a meia-noite. Isto na prática fez com que a sessão fosse terminada, pois no ‘retorno’ não haveria tempo para mais nada, portanto sessão encerrada.

Praticamente duas horas depois de iniciada a Ordem do Dia, dos 15 ítens que deveriam ser discutidos e votados, apenas sete haviam sido aprovados, sendo que dois deles sem nenhuma discussão, outros dois ‘discutidos’ apenas pelos autores, um deles discutido por 3 parlamentares, dos dois restantes, um deles teve a sua discussão iniciada na sessão anterior e a discussão estava limitada aos parlamentares com reserva de tempo, teve uma emenda, com isso passou por duas votações nominais, (até que foi rápido); a aprovação destes seis projetos utilizou mais ou menos 45 minutos das duas horas de duração da Ordem do Dia.

O sétimo projeto a ser discutido e votado, usou o restante do tempo e a sessão acabou encerrada e oito projetos deixaram de ser apreciados e votados (um deles foi adiado por duas sessões a pedido da autora).

Ninguém pediu, mas eu darei a minha opinião, durante a discussão deste projeto, enviado pelo Executivo, (Projeto de Lei N.º 012/2010, que “Concede bônus-educação, no valor de R$ 705,00, aos servidores que especifica, da Secretaria da Educação, no mês de março de 2010”), sete parlamentares pediram a palavra, (pelo Regimento, cada um pode falar por até 15 minutos), alguns concederam apartes a outros, nem todos usaram todo o tempo permitido, na verdade apenas um deles fez uso de todo o tempo, dividido em duas partes e cedendo alguns apartes e diga-se o que foi dito nesses longos 15 minutos poderia muito bem ser dito em uns 4 minutos não fosse a repetição e a mesmice do discurso.

Sei que nem todas as pessoas assimilam ou gostam de receberem críticas, faz parte do Ser Humano não gostar delas, as críticas, mas uma das características dos Vereadores(as) é a crítica exercida ao Poder Executivo (Municipal, Estadual, Federal), ao Legislativo Estadual e Federal e até ao Judiciário, eles(as) gostam de frisar que isto é uma competência da função do Vereador(a), junto da de legislar e fiscalizar...

...dito isto, quero dizer que vou me dar o direito de criticá-los, pois eles são os nossos representantes e só estão lá por que nós, os eleitores, os escolhemos...
...a crítica é ao tempo que gastam discutindo alguns projetos e requerimentos, tempo este que no caso dos projetos é de até 15 minutos, o que faz com que por várias vezes o Parlamentar fique a repetir por duas, três até quatro vezes a mesma coisa, só por que tem tempo para falar e quer utilizá-lo todo, esta prática faz com que as sessões sejam cansativas, muito cansativas e as aprovações dos projetos e requerimentos fiquem prejudicadas, aliás, só ontem, na 3ª sessão ordinária de 2010 é que os requerimentos de 2009 foram todos ‘discutidos’ e votados.

Diante desta crítica, faço uma proposta prática e uma sugestão:
Proposta: Mudem a maneira de discussão, diminuindo de 15 para 10 minutos o tempo que o Vereador(a) pode discutir, dividindo este tempo em duas partes, sendo 7 minutos iniciais e outros 3 minutos obrigatoriamente como ‘reserva de tempo’ para uma réplica; 10 minutos é tempo mais do que suficiente para tecer comentários sobre qualquer assunto; observem que se cada Parlamentar utilizar todo o seu tempo disponível, a discussão de um único projeto ou requerimento pode gastar 2 longas horas.

Sugestão: Senhoras e Senhores Vereadores, quando utilizarem o seu tempo para falar, tempo este que conquistaram através de uma eleição popular, portanto, tempo legítimo, lembrem-se que as pessoas os estão ouvindo e vendo, avaliando e alguns até fiscalizando a sua fala, a sua atuação, sejam diretos em seus comentários, procurem-se fazer entender por qualquer pessoa, sejam claros, não fiquem repetindo a mesma coisa só por que tem tempo (isto acontece sempre), respeitem quem os ouve, utilizando palavras que não firam os nossos ouvidos, usem de urbanidade (cortesia) para com os seus pares, sejam coerentes com o que falam, não distorçam a situação, não usem meias palavras, enfim, sejam sinceros e francos, sem rodeios, pois estão sendo avaliados e a palavra, uma vez dita, não pode ser recolhida, o estrago provocado por uma frase infeliz dificilmente é corrigido e esquecido, e por último não falem só por falar, procure falar levando em conta que o seu comentário vai acrescentar algo de valor e não apenas preencher o tempo de quem os ouve.

Quero ressaltar que a crítica aqui é para que tenhamos sessões mais produtivas e gostaria de deixar ainda mais uma sugestão, requisitem à TV Câmara as gravações de vossos pronunciamentos e os assistam com seus assessores, com uma visão crítica, de análise e vejam na prática o que estou aqui apontando.

Apesar de ter-me alongado, espero que o leitor tenha chegado até aqui e acima de tudo tenha compreendido o intuito deste texto.

Convido aqueles que nunca foram à Câmara para assistir a uma sessão ao vivo, que o façam, garanto a vocês que é uma experiência única.

A propósito, um leitor médio consegue ler e compreender este texto em aproximadamente 8 a 9 minutos, no máximo 10 minutos.

Éderson da Silva, um observador e colaborador crítico.

Resumo Sessão Câmara de Vereadores


Resumo da 3ª sessão ordinária do ano de 2010, da Câmara de Vereadores de Araçatuba, realizada em 17/02/2010.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Transportes Urbanos Araçatuba - TUA em "xeque"

Reunião na Câmara de Vereadores
26/fevereiro/2010


Fonte: Site da Câmara - Assessoria de Comunicação: João de Paula

O transporte público de Araçatuba será discutido no próximo dia 26 em encontro aberto a diversos segmentos da sociedade.


Entre as propostas, estão relacionadas uma série de ações emergenciais para melhorar o transporte de passageiros no município, a análise criteriosa do contrato de concessão firmado entre o Município e a empresa TUA (Transportes Urbanos Araçatuba) e a criação de um conselho de usuários do transporte público, sugerido ao Executivo Municipal pela presidente da Câmara Municipal, vereadora Edna Flor (PPS), no ano passado.


Serão convidados representantes do Legislativo, Ministério Público (MP); da Defensoria Pública; das secretarias municipais; do Conselho Municipal Sobre Assuntos da Pessoa com Deficiência; e da TUA, além de usuários do serviço de transporte.


O anúncio foi feito pela presidente da Câmara, após tomar conhecimento de inúmeras reclamações sobre o serviço prestado pela TUA, que incluem falta de cobertura nos pontos, atraso em horários e desrespeito no atendimento a idosos e pessoas com deficiências.


A questão do monopólio do serviço de transporte e a fiscalização rigorosa do contrato de concessão pelo poder público, incluindo a Prefeitura e o Legislativo, também farão parte da pauta do encontro, segundo a vereadora.


“Tenho recebido sucessivas reclamações relatadas por usuários do transporte público que alegam não receber atendimento adequado. É uma garantia constitucional das pessoas contar com um atendimento digno, de qualidade”, afirmou.

Nota do Editor:

O título {Transportes Urbanos Araçatuba - TUA em "xeque"}, é uma visão particular deste Editor, explico:

Não só a TUA está em 'xeque', mas todo o Transporte Público deste país carece de questionamentos e principalmente de melhoramentos, a 'Mobilidade Urbana' necessita ser repensada como um todo e os Transportes Públicos em particular, na forma como são concebidos, concedidos, implantados, fiscalizados e cobrados, pois a não eficiência do mesmo causa transtornos e prejuízos a toda a população, mesmo aquela que não usa diretamente o serviço.

Espero que possamos, aqui em Araçatuba, se não resolver 100%, melhorarmos substancialmente o serviço.

Em tempo: A reunião será mesmo no dia 26 de fevereiro às 16:00 horas, não sei se será aberto ao público em geral, assim que souber atualizo o texto.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Governo libera R$ 5 milhões para Araçatuba

Governo libera R$ 5 milhões para Araçatuba

Fonte: Site Prefeitura Municipal de Araçatuba

A viagem do prefeito Cido Sério e do vice-prefeito Carlos Hernandes a Brasília, no dia 2 de fevereiro, para pedir recursos ao Governo Federal para executar obras de infraestrutura nos bairros e estradas atingidos pelas chuvas já começa a apresentar os primeiros resultados. Com a publicação do decreto reconhecendo em Araçatuba a situação de emergência, pelo Governo Estadual, o prefeito recebeu ontem, em Presidente Prudente, do ministro das Relações Institucionais Alexandre Padilha a confirmação de que R$ 5 milhões já estão disponibilizados para que a Prefeitura possa executar obras emergenciais, através dos recursos criados pela Medida Provisória 480/2010.

“Esse recurso é importante para que possamos intensificar os trabalhos de recuperação da cidade. Vamos precisar de muito mais. Porém, nesse momento, isso já nos dá um alívio e condições para corrigir vários pontos que sofreram danos e que têm nos preocupado”, disse o prefeito na manhã de hoje (12).

Para a aprovação do recurso anunciado ontem por Padilha, em Presidente Prudente, foi decisiva a ação do senador Aloísio Mercadante, que se empenhou pessoalmente junto à ministra Dilma Rousseff e ao ministro Geddel Vieira Lima, do Ministério da Integração Nacional, para a liberação de R$ 5 milhões do Orçamento Geral da União.

Minha Casa, Minha Vida

Durante a viagem a Presidente Prudente, na tarde de ontem (11), também foi assinado pelo prefeito Cido Sério, representantes da Caixa Econômica Federal e da construtora Lomy Engenharia Ltda. um contrato para a construção de mais um empreendimento do Programa “Minha Casa, Minha Vida” (PMCMV) para baixa renda na cidade. O Residencial Atlântico é destinado a famílias com renda de até três salários mínimos.

A assinatura contou com as presenças do ministro das Relações Institucionais Alexandre Padilha, do superintendente regional da Caixa Geraldo Luiz Machado de Oliveira, da superintendente nacional de assistência técnica e desenvolvimento sustentável Márcia Kumer, de gerentes regionais e de outras autoridades locais. O deputado federal Ricardo Berzoini e os vereadores Joaquim Pereira de Castilho e Edval Antônio dos Santos compareceram à solenidade.

O empreendimento composto de 481 unidades será construído na Rua Agenor Zanoni, no loteamento Atlântico e receberá investimentos de R$ 20,2 milhões. O Residencial Atlântico será composto de casas com dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, com área de 37,52 metros quadrados. As unidades habitacionais contarão com sistema de aquecimento solar. O prazo para construção é de 12 meses e o valor de cada unidade será de R$ 42.000,00.

Na gestão do prefeito Cido Sério já foram contratados, considerando o Residencial Atlântico, nove empreendimentos pelo programa em Araçatuba, num investimento de R$ 73,5 milhões, que estão fomentando a construção de 1.408 unidades habitacionais. O município tem ainda em análise dez projetos que, se aprovados, levarão mais R$ 168,7 milhões de investimentos à cidade com a construção de mais 2.956 moradias.

Valdevino Bittencourt Dias
12/02/2010
Assessoria de Imprensa

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Situação de emergência é homologada pelo Estado

Fonte da Notícia: Jornal Folha da Região - Araçatuba
Jornalistas: Sergio Guzzi e Sérgio Teixeixa


O governo de São Paulo homologou
ontem, conforme
publicação no Diário
Oficial do Estado, situação de emergência
em Araçatuba, em decorrência
dos estragos causados pelas chuvas
que atingem a cidade desde dezembro
do ano passado. Em 26 de
janeiro, a administração municipal
já havia declarado tal situação após
estimar em R$ 50 milhões os prejuízos
registrados na cidade.
Com a homologação da situação
de emergência, o prefeito Cido
Sério (PT) pretende reforçar pedidos
de recursos feitos ao governo federal.
Na semana passada, o chefe
do Executivo esteve em Brasília,
onde protocolou nos ministérios da
Agricultura, Integração Nacional e
Cidades projetos para obras estimadas
em R$ 23,6 milhões.
Nesta quinta-feira, o prefeito
se encontra em Presidente Prudente
com os ministros da Integração
Nacional, Alexandre Padilha, e de
Cidades, Márcio Fortes. "Vou entregar
a eles cópia dessa homologação
e reforçar nossos pedidos", disse Cido
à Folha da Região, na tarde de
ontem. "Se for preciso, vou a Brasília
para uma reunião com o comando
da Secretaria Nacional de Defesa
Civil, reforçar a nossa necessidade
de recursos para fazermos a recuperação
da cidade."
Para facilitar o repasse de recursos
a Araçatuba, o secretário
municipal de Governo e Gestão Estratégica,
Márcio Chaves Pires, que
acompanhou toda a vistoria feita
por representantes da Defesa Civil
do Estado de São Paulo aos locais
de estrago na cidade, aguarda o reconhecimento
da secretaria nacional.
"É preciso esse reconhecimento
pelas três esferas. A partir daí, é
correr atrás do dinheiro, com a
apresentação de projetos. Coisa
que, por sinal, já fizemos", diz.
A situação de emergência em
Araçatuba, que registrou 22 pontos
críticos de estragos, muitos deles
na zona rural e no bairro Umuarama,
tem validade de 90 dias. No período,
a Prefeitura terá a vantagem,
por exemplo, de poder contratar
sem a necessidade de licitações.
DESASTRE
No fim de janeiro, quando a
Prefeitura entregou o formulário
Avadan (Avaliação de Danos) e outros
documentos requeridos pelo
Estado para análise da situação de
emergência, o diretor de gerenciamento
de emergência da Cedec
(Coordenadoria Estadual de Defesa
Civil), capitão PMToni Kasai, já havia
sinalizado para a homologação
do decreto. "Tenho condições de
afirmar que é um desastre de grande
porte", disse, na ocasião, sobre
as condições do município após as
chuvas. Conforme o Avadan, o total
de prejuízo com danos emergenciais
é de R$ 37,212 milhões, mas
o Executivo garante que as perdas
atingem R$ 50 milhões, pois a Prefeitura
considera outros itens que o
formulário não contempla. As inundações
e a força da chuva causaram
problemas materiais, ambientais,
econômicos, sociais e na infraestrutura
pública do município.
ASFALTO
O município precisará de R$
13,116 milhões para resolver os
problemas de asfalto causados pela
chuva. A deterioração da pavimentação
aumentou com as enxurradas
e inundações, provocando danos
em quase 250 mil metros quadrados
de ruas pavimentadas. Na
zona rural, 284 quilômetros de estradas
ficaram intransitáveis.
Balanço das secretarias de
Obras e Serviços Públicos, Governo
e Gestão, Planejamento, Segurança
Municipal, Ação Social, Defesa
Civil e Daea (Departamento de
Água e Esgoto de Araçatuba) mostra
que a cidade tem hoje 22 áreas
de risco, e que os bairros Umuarama
e Lago Azul são considerados
os locais mais preocupantes.
A vicinal Caran Rezek, estrada
que liga o trecho urbano de Araçatuba
com o bairro rural Engenheiro
Taveira, foi um dos pontos danificados
pela chuva, mas que já foi recuperado
pelo município com recursos
próprios, da ordem de R$
280 mil. Na semana passada, a
Sosp anunciou a recuperação das
estradas do bairro Jacutinga, Laboreaux
e Água Funda.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

DESRESPEITO E VANDALISMO





Sem comentários, as imagens já falam por si.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Resumo Sessão Câmara de Vereadores


Resumo da 2ª sessão ordinária do ano de 2010, da Câmara de Vereadores de Araçatuba, realizada em 08/02/2010.

Mais uma boa notícia

Retirado do Site da Câmara de Vereadores de Araçatuba:

Vereadores aprovam projeto de combate às enchentes

Fonte: Assessoria de Comunicação: Suzy Faria - Data: 8/2/2010 22:45:23

O plenário da Câmara de Araçatuba aprovou, por unanimidade, projeto de lei enviado pelo Poder Executivo, que altera o artigo 30 do Código de Posturas do Município. A mudança permite a implantação de sistemas para a captação e a retenção de águas da chuva, coletadas por telhados, terraços e pavimentos existentes em áreas impermeabilizadas. A proposta foi aceita durante a 2ª sessão ordinária do ano, realizada nesta segunda-feira (08/02).

O objetivo da alteração é compensar a excessiva impermeabilização do solo, reproduzindo condições naturais de drenagem. Na justificativa que acompanha o projeto, o Executivo alega que o asfalto, o cimento e os calçamentos, aliados à eliminação de áreas verdes e ao assoreamento dos rios, são causas de enchentes, que trazem significativos prejuízos.

Ao permitir a implantação de sistemas de captação e retenção de águas pluviais, a Prefeitura espera reduzir a velocidade de escoamento dessas águas em direção aos rios, controlar a ocorrência de inundações, reduzir o consumo e contribuir para o uso adequado da água potável.

Conforme o projeto, os sistemas de captação e retenção de águas pluviais deverão conter reservatórios e condutores para receber e liberar a água acumulada. O líquido armazenado poderá ser utilizado para irrigação do solo ou em edificações para descargas sanitárias, reservas de incêndio, irrigação de jardins e controle de poeira. A técnica passa ser condição para a obtenção de aprovações e licenças de empreendimentos em áreas a serem definidas pelo Município.

Com a publicação da referida lei, a Prefeitura terá o prazo de 60 dias para regulamentá-la por meio de decreto.

Conforme a vereadora Profª Durvalina Garcia (PT), trata-se de um projeto ecologicamente correto, que se adapta a uma nova realidade. “O Código de Posturas do Município data de 1971. Desde então, a cidade evoluiu com o crescimento populacional e o aumento da impermeabilização”, afirmou. A parlamentar lembrou ainda que iniciativas semelhantes já foram implantadas no nordeste brasileiro, com a construção de cisternas.

A vereadora Tieza (PSDB) acrescentou como exemplos sistemas de coleta de águas da chuva implantados no Rio de Janeiro e Holambra (SP). “Pouco mais de 1% da água existente no planeta é potável. Por isso, projetos como esse merecem a nossa atenção”, disse Tieza. A parlamentar também solicitou à Prefeitura a fiscalização dos sistemas que serão implantados e a realização de campanhas de sensibilização para que a população entenda a importância do projeto.

O vereador Edval Antônio dos Santos (PP), por sua vez, aproveitou a discussão para reivindicar da Prefeitura o envio à Câmara de projeto estabelecendo punições aos produtores que obstruem as lagoas de contenção de águas pluviais, acarretando a inundação de estradas rurais.

Resumo Sessão Câmara de Vereadores


Resumo da 1ª sessão ordinária do ano de 2010 da Câmara de Vereadores de Araçatuba, realizada em 01/02/2010.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

RUA DO FICO


O Conselho Municipal de Trânsito (CMT), em sua reunião ordinária do mês de janeiro de 2010, discutiu os problemas de fluxo e lentidão da Rua do Fico, diante de várias sugestões foi aprovada e está sendo encaminhada ao DEMTRA - Departamento Municipal de Trânsito a proposta aqui apresentada.


Como a Rua do Fico é bem larga, a proposta é que ela tenha duas faixas de rolamento em cada sentido além da faixa para estacionamento, a imagem aí acima mostra bem isto.


Então logo após o recapeamento que deverá ser executado nos próximos dias, o CMT espera que a recomendação seja acatada pelo DEMTRA, lembrando que o CMT é um orgão consultivo e opinativo, portanto não tem a decisão final, no máximo pode aconselhar como aliás tem feito sempre.


Vale ressaltar que o Conselho tem outras propostas para a Rua do Fico, mas que só poderão ser implementadas quando da recuperação asfáltica de todas as ruas adjacentes a ela e que no momento oportuno estaremos divulgando.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

BOA NOTÍCIA - ASFALTO NOVO












Estas imagens mostram trechos da Rua Bolívia e da Rua Porangaba, que estão sendo recapeadas.

A Prefeitura de Araçatuba está recapeando o asfalto de várias ruas da cidade, consideradas importantes artérias e ou corredores, ruas extensas que ligam vários bairros da cidade e que tem um tráfego pesado de veículos, o tipo de asfalto utilizado é o CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente)...

...este tipo de asfalto proporciona uma superfície com melhor qualidade de acabamento é impermeável e muito resistente, diante disto vale alertar:


MOTORISTAS, MOTOQUEIROS E PEDESTRES, DEVEM TER A ATENÇÃO REDOBRADA QUANDO TRAFEGAREM OU ATRAVESSAREM ESTAS RUAS, POIS A RUA FICA PRATICAMENTE 100% LIVRE DE BURACOS E FAZ COM QUE OS MOTORISTAS ACELEREM, PORTANTO, REPITO: CUIDADO E ATENÇÃO AOS LIMITES DE VELOCIDADE E ÀS PLACAS DE SINALIZAÇÃO, E LEMBREM-SE A VIDA É MUITO PRECIOSA, INCLUSIVE A DOS OUTROS...

Algumas das ruas que estão e serão recapeadas nesta 1ª etapa são:

Rua Bolívia, Rua Porangaba, Rua Aviação, Rua do Fico...
...neste mesmo pacote está também o término da Av. Waldemar Alves.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

FLAGRANTES


















Dispensa explicações, não acham?



Mudanças no trânsito


Araçatuba é uma cidade com quase 200 mil habitantes e uma frota de aproximadamente 100 mil veículos, ruas estreitas, traçado das vias complicados e estranhos, que foram surgindo ao bel prazer dos loteadores, sem nehuma preocupação com planejamento sério, estrátegico e que levasse em conta o fluxo de veículos, até porque há algumas décadas atrás não se imaginava que eles seriam tantos, é bom salientar.

Entretanto o que mais atrapalha a fluidez no trânsito são os próprios motoristas e pedestres, ou seja, nós, que somos, desculpem se ofenderei alguém, egoístas e pensamos somente na nossa própria comodidade.

Uma cidade é um 'organismo vivo', está em crescente movimento e o trânsito precisa acompanhar este movimento, as mudanças são necessárias e devem ocorrer constantemente, dizer que não se deve mudar, alterar, proibir estacionamento em determinados locais, criar mão única em algumas ruas é puro PRECONCEITO, pois a cidade é dinâmica, está crescendo e necessita ser 'atualizada', reprojetada, repensada e acima de tudo possibilitar a todos que nela vivem, condições de ir e vir com facilidade e rapidez, necessitamos de 'Mobilidade Urbana' e isso só acontece com fluidez no trânsito...

A imagem acima é da Rua Marcílio Dias, justamente no trecho onde o Conselho Municipal de Trânsito indicou para que fosse instalado semáforo para veículos e pedestres, local onde muitos acidentes acontecem, vale lembrar que a maioria deles por imprudência e desrespeito às regras de trânsito por parte dos próprios motoristas e pedestres.

A proibição de estacionamento em um dos lados da via, ou a criação de mão única de direção, não prejudica comércio algum, isto é puro preconceito, o que prejudica o comércio, são ruas interditadas por conta de acidentes, são ruas evitadas pelos motoristas por conta do perigo que o trânsito desordenado causa, são ruas onde os comerciantes e comerciários estacionam os seus veículos durante todo o dia na frente dos estabelecimentos e não sobram vagas para os consumidores, são ruas onde os caminhões de entregas de mercadorias, param em fila dupla atrapalhando a circulação, enfim o que atrapalha o comércio e todas as demais atividades da cidade é o desrespeito da grande maioria dos cidadãos que não sabem viver em sociedade, não sabem o que é cidadania, não sabem que os seus direitos vão até o limite onde começam os direitos dos outros...

...não queria ser tão longo neste texto,mas preciso acrescentar algo e darei alguns exemplos:

"Façam uma experiência, saiam em um passeio pela cidade, prestando atenção na maneira como as pessoas trafegam, e com certeza vocês verão: carros estacionados em locais proibidos, ao lado das placas de proibido estacionar (ex: defronte à Coopbanc, Rua Silva Jardim, Rua Luiz Pereira Barreto, Rua do Fico), sobre as calçadas (ex: Av. dos Araças, Rua Gal Glicério, Rua Silva Jardim, Rua Brasil, Rua Aguapeí), nos canteiros centrais de avenidas (Av. da Saudade), filas duplas e triplas na frente das escolas, (não precisa nem exemplo), restaurantes e lanchonetes ocupando 100% dos espaços das calçadas (Rua Cristiano Olsen, Rua Cussy de Almeida, Rua Porangaba, Rua Bolívia), carros, motos e bicicletas trafegando na contra-mão, excesso de velocidade nas ruas e avenidas, motoristas sem cinto de segurança, falando ao celular, motoqueiros e motociclistas sem capacete e também falando ao celular, pedestres fazendo caminhadas na faixa de rolamento dos veículos, e por aí vai, portanto antes de dizerem que estou sendo radical, façam esta experiência, tenho certeza que muitos acharão que estou sendo até ingênuo.